quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Pablous


Pablous Code
Pablo Fontes Correia e Silva – Pablo chamam-lhe os pais e Pabi diz-lhe o tio Mito (e Pabis-Pabis, ó Vénus de Milo) –, fez hoje seis anos. A crise na Bolsa de Nova Iorque que espere. Mc'Cain e Obama também. Intermezzo. O tal seminário sobre o papel dos bancos centrais em tempos de calema não me interessa hoje. Tão pouco me move o facto desse Peter mudar de poiso e de pub para o gáudio dos obtusos. Por menos que isso, Picasso (outro Pablo) pintou “Les Demoiselles d´Avignon”. Certo é que não me adormeço o tempo de um fósforo aceso no ocaso das balzaquianas, tamanha a minha pressa do mundo e imperioso te aguardar em Milano Centrale, ó Poeta. Hoje, nem vou repetir à exaustão que, no Reino da Dinamarca, mandam as pixinguinhas, as sirigaitas, os thugs e os artistas cabo-zouk, quando não os intelectuais de periódicos e os especialistas no geral. Lembro-me, como se hoje fosse, o dia em que Pablo nasceu no Hospital Beth Israel, em Boston. Era Outono, em Fenway Park. Era Outubro na minha vida. Melhor, muito melhor que esse Setembro, ao tempo, a chover a cântaros…
Incenso Fosse Música*
isso de querer ser
exactamente aquilo que a gente é
ainda vai nos levar além
Alba**
O petto svegliato dal nuovo sole!
O mio caldo letto bagnato di lacrime!
Con un’altra luce mi sveglio a piangere
i giorni che volano via come ombre.
Poema 20***
De otro. Será de otro. Como antes de mis besos.
Su voz, su cuerpo claro. Sus ojos infinitos.
Ya no la quiero, es cierto, pero tal vez la quiero.
Es tan corto el amor, y es tan largo el olvido.
Porque en noches como esta la tuve entre mis brazos,
mi alma no se contenta con haberla perdido.
Aunque éste sea el último dolor que ella me causa,
y éstos sean los últimos versos que yo le escribo...
Pablous:
* Paulo Liminski
** Paolo Pasolini
*** Pablo Neruda

1 comentário:

Pascoalino disse...

Albatroz:

Apprezzo vostro blog. È di molto talento. Il piu culto ed astuto della blogsphere Capoverdiana. Tuttavia, voi no necessità di rimanere aggressivo contro il mondo. La vita è bela…

Pascoalino