quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Inútil filosofia

Inútil filosofia de trazer por casa

Que a vida se reparta em beijos, leite e pão, como diria Pablo Neruda, é tudo que pedimos ao Deus dos judeus. E não perderemos completamente as esperanças num mundo melhor e, à segunda taça de um bom tinto, achamos a porta que se abre a cada uma que se fecha. O nosso dilecto Dimitri Túlio vaticina: PORQUE FOMOS DESMENINADOS, crescemos achando que somos melhores que um jumento ou um sabiá. Quando há pôr-do-sol, esquecemos o estado da (in) justiça cabo-verdiana, Gaza, Mugabe e outras merdas, e imaginamos os teus olhos de haver madrugada. Apetece dizer-te, assim em Joint: Tarte della nona, amore...

1 comentário:

Saiph de Órion disse...

...e de inutilidades a terra está cheia, mas ainda assim pode haver certezas de que por detrás desta rosa, ali, bem ali onde te escondes, está também a verdade. Aquela mesma que mora em ti!
Parabéns pelas coisas que escreves!
Abraço