terça-feira, 18 de março de 2008

Eterna beleza

Leio, sempre com muito agrado, o Blog de Abraão Vicente. O “Ala Marginal”. Geralmente, comungo das suas inquietações e delicio-me com as suas palavras. São desempoeirados e desassombrados os textos de Vicente. Direi o mesmo das suas fotografias e das suas telas. Soltas, soltíssimas da silva. É claro nem tudo que nele reluz para mim é ouro. Desmereceu o álbum de Nancy Vieira e eu adorei o “Lus”. Desancou em Manuel Veiga de forma desproporcionada e eu deplorei esse excesso de razão. Escreveu que Mindelo era cidade mais cosmopolita de Cabo Verde e achei que ele não olhou bem a “movida” da Nova Praia. Escrevo tudo isso para felicitá-lo pelo Programa 180º, na Televisão de Cabo Verde. Espaço de variedade e de faits-divers, de elevada qualidade. Dito isto, discordo, uma vez mais, com o nascimento do fim da beleza. É que, apesar da fugacidade desta tese, beleza tende a ser eterna…

1 comentário:

João Branco disse...

Filinto, o Abraão e escreveu o que sentiu nos dias que passou no Mindelo. E tem tanto mais significado, quando melhor nos lembrarmos das polémicas anteriores. E dito isto, se há alguém que olhe bem a «movida» da Praia, esse alguém é o Abraão, até pela profissão que tem hoje. Não vejo onde possa estar o mal ou o incómodo de ter escrito como escreveu (e bem) sobre o Mindelo. De resto, de acordo. Os textos dele não só são o que disseste que eram, como estão a melhorar claramente, em termos de qualidade literária e desassombramento. Abraço do Norte.